Vaidade e cuidado em tempos de coronavírus

Que o brasileiro é vaidoso já sabemos. Os números do mercado de beleza no Brasil impressionam: mais de 30 bilhões de dólares em vendas nesse setor por ano no País, o que nos deixa atrás apenas dos EUA, China e Japão. Mas será que a pandemia arruinou a nossa auto-estima? Pelo que vemos nos stories Instagram afora, vire e mexe alguém se revolta e inicia uma superprodução nem que seja para ver uma Live ou um encontro virtual… Ops, encontro virtual?
Sim, a vaidade nacional não se detém nem pela Covid-19. E nem a vontade de se relacionar com alguém. Apesar do medo de contrair doenças transmissíveis – e, consequentemente, estar menos propensos a se relacionar pessoalmente com alguém –, cada encontro é mais precioso, portanto exige que sejamos mais cuidadosos. E esse cuidado extra se reflete em como aparecemos nos vídeos e câmeras virtuais.
Durante o isolamento social, produzir-se e relacionar-se com alguém são poderosas ferramentas de saúde mental. Estar solteiro não é motivo de se entregar à solidão, muito menos ao descuido. E estar casado tampouco: o convívio excessivo com a mesma pessoal não pode desanimar o espírido de auto-cuidado. Compre flores para você, use roupas novas para fazer lives, passe protetor solar para ficar na janela e use creme hidradante.
Juntos sairemos da pandemia. E juntos cuidaremos um do outro.
A Hendrik deseja um 2021 cheio de bons relacionamentos, repleto de cuidado e abundante em carinho. Boas festas!

Hendrik. Men do care.