Para os animais não importa o que você pensa ou sente, importa o que você faz!

Estamos hoje em uma estrutura econômica injusta, onde a indústria de quase todos os setores produz a partir da exploração animal. Todos os experimentos estão sendo combatidos por inúmeras organizações protetoras e empresas conscientes, já que são um atraso para os avanços científicos e por serem ineficientes.

Para testar as substâncias, a indústria necessita de milhões de animais confinados em laboratórios para que estes então sejam submetidos a práticas dolorosas. Tóxicos são colocados nos olhos de animais conscientes para medir a ação de ingredientes químicos encontrados em produtos de limpeza e em cosméticos. Substâncias são ingeridas através de sonda gástrica; fumaça é inalada; animais são privados de comida e sono em experimentos de comportamento e de aprendizado. Alguns são até dissecados vivos e existem além desses muitos outros.

Estima-se que 100 milhões de animais sofram e morram em laboratórios do mundo todo. Entretanto, muitos países não apresentam o número exato dos que passaram por testes e os animais criados especificamente para pesquisa não são contabilizados nos dados.

Muitos cientistas estão questionando o porquê de os testes ainda serem usados no desenvolvimento científico. Por um lado, uns dizem que os animais são imprescindíveis para chegar em descobertas na área médica. Por outro, existe o grupo que diz que testes em animais impedem a evolução da ciência, mantendo então um ciclo de práticas sem sentido. O médico Ray Greek, por exemplo, diz que as drogas deveriam ser testadas em computadores, depois em tecido humano e aí em seres humanos.

Foi divulgado pela indústria farmacêutica que os remédios em média funcionam em 50% da população (alguns funcionam 10% e outros 80%), por isso muitos dos que estão no mercado não são seguros para todos. E a grande maioria dos remédios que existem são cópia de drogas já existentes então os efeitos são conhecidos. Nada justifica a necessidade de testes adicionais. E muitos das substâncias vieram de experimentos falhos, mas ainda assim são vendidos.

Os experimentos em animais esclarecem fatos sobre eles, e não sobre os seres humanos. Os resultados desses tipos de estudo nunca trarão total segurança ou eficácia dos remédios e outros produtos. As diferenças entre as espécies são muito grandes.

Os testes em animais não são nada éticos, não temos direito nenhum de usá-los simplesmente por haver a possibilidade. Os seres humanos sabem que os animais são vulneráveis, mas ainda assim fazemos exatamente o que não deveríamos. Ainda bem que sabemos mudar nosso comportamento e isso já está sendo mostrado: as empresas que estão repensando este sistema, fabricando produtos cruelty free e veganos estão aliados com os novos valores de muitos.

A Hendrik Barber & Men Care é essa empresa, traz ao mercado produtos que representam o novo modo de pensar. Prioriza o estilo de vida sustentável em todos os níveis, desde a idealização dos produtos a criação dos mesmos. São usados apenas ingredientes naturais, embalagens ecológicas e produção cruelty free, impactando da melhor forma o mundo.